.
Clique na foto para ampliá-la
.
.
ANTIGO SENADO DA CÂMARA
.
Construção do século XVIII, que guarda toda a sua originalidade. Passou a sediar o Senado da Câmara a partir de 1751, até 1896. É, talvez, a mais antiga sede de Câmara de Minas Gerais. “Aí funcionou o nobre Senado da Câmara da Vila do Príncipe, cabeça da Comarca do Serro Frio, com seus ilustres vereadores, juízes, procuradores, almotacés; aí eram feitas também as audiências de correição dos Ouvidores do Serro (ministros representantes de El-Rei Nosso Senhor)”.
.
O prédio foi palco da formação do “espírito cívico dos serranos” e dos seus “ideais nativistas”, além de ter assistido ao aparecimento de personagens como Teófilo Otoni e tantos outros, que tiveram importante papel na política mineira e nacional.
.
Situa-se onde, por mais de um século, a cidade manteve o principal ponto de poder (igreja matriz, câmara e pelourinho) e de encontro da população. Possui características interessantes. Na frente, duas escadas laterais simétricas, típicas das Câmaras mineiras, dão acesso ao edifício. No lado esquerdo se abrem duas grandes sacadas, de onde as autoridades solenemente se dirigiam ao povo, estacionado no antigo Largo da Cavalhada. Atualmente é residência particular.
Localização : Pça. Pres. Vargas (Largo da Matriz).
.
.

• FOTOS:
.
1- Edifício do antigo Senado da Câmara.
.
2- Antigo documento do Senado da Câmara do Serro Frio.
.
3- Foto aérea do antigo Largo da Cavalhada, com a Igreja Matriz e o prédio do Senado da Câmara (com a seta indicativa), onde várias mobilizações cívicas marcaram a história do Serro, antes da Câmara se mudar para a atual Pça. João Pinheiro.
.
.

.
Fonte: "GUIA DO SERRO"
.
.
.
.

• Se você quer ter todas as informações deste Flogão em livro, pode pedir o "GUIA DO SERRO". É só clicar no link: GUIA DO SERRO em livro
.
.
.
.

O Serro tem tudo isto e muito mais.
.
• VEJA MUITO MAIS COISAS SOBRE O SERRO NA PÁGINA INICIAL DESTE SITE: GUIA DO SERRO
.
.
.
.
A NATUREZA, A ARQUITETURA E OS BENS CULTURAIS DO SERRO TAMBÉM SÃO SEUS. AJUDE A PRESERVÁ-LOS.
.
.