MESTRE VALENTIM DA FONSECA E SILVA

"Fonte dos Amores" ou "Chafariz dos Jacarés" (RJ)
Quando a capital do Brasil migrou de Salvador para o Rio de Janeiro, em 1763, por causa das riquezas mineiras, foi também das minas que saíu um gênio, para embelezar a nova metrópole. Escultor e Arquiteto, o Mestre Valentim deixou então seu nome imortalizado nas obras e na decoração cariocas. Nascido na Vila do Príncipe (hoje Serro), era filho de um reinol, "contratador de diamantes", com uma mulata. Mudou-se com os pais para Portugal, onde estudou, voltando com a mãe para o RJ, após a morte do pai, antes de concluir os estudos artísticos. Passou a residir e a ter oficina na Rua do Sabão, tornando-se "braço direito" do Vice-Rei e o mais célebre escultor/construtor do seu tempo, na capital da colônia.

Busto do Mestre Valentim, no Passeio Público (RJ) 
 Modelava estátuas, riscava plantas de prédios, desenhava jóias, adornos e objetos de culto religioso. Enriqueceu várias igrejas, como a de S. Francisco de Paula, Capela do Noviciado (talha barroca), Cruz dos Militares (teto e paredes) e Ordem Terceira do Carmo, além de deixar obras-primas espalhadas em tantos templos de Minas. Não havia segredos para suas hábeis mãos e trabalhava na madeira, na pedra, no bronze, na prata e no ouro.

Destacam-se também no Rio importantes obras, como chafarizes (principalmente o da "Pirâmide", na Praça Quinze de Novembro, e o das "Saracuras", antigo Convento da Ajuda, tombados pelo IPHAN) e o Portão e Terraço do histórico Passeio Público (onde se encontra o seu busto em bronze). Nasceu em cerca de 1750, morrendo pobre e famoso, em 01/03/1813, sendo sepultado em jazigo da Igreja do Rosário/RJ.

 
Ver vídeo

"Chafariz do Carmo" ou "Chafariz da Pirâmide" (RJ)

O teto e as paredes da "Igreja de Santa Cruz dos Militares" foram decoradas por Valentim

Anjo esculpido em madeira

.
.